×

A forma grave da dengue: informações fundamentais sobre a dengue hemorrágica

A forma grave da dengue: informações fundamentais sobre a dengue hemorrágica 1

A forma grave da dengue: informações fundamentais sobre a dengue hemorrágica

Épocas de chuvas intensas, como o verão, podem levar ao acúmulo de água parada, o que favorece a proliferação de doenças, incluindo a dengue. A dengue hemorrágica é uma forma grave dessa doença, que ocorre quando há uma diminuição das plaquetas no sangue. Isso pode levar a sangramentos nas mucosas e, em casos mais sérios, a hemorragias internas. A dengue hemorrágica é mais comum em pessoas que já tiveram dengue antes, mas também pode ocorrer na primeira infecção. É importante conhecer os sintomas, que incluem febre, dor no corpo, dor de cabeça e sangramentos nas gengivas, nariz, boca, entre outros. Outros sinais de alerta são dor abdominal forte, vômitos persistentes, diarreia, desconforto respiratório, desidratação, cansaço extremo e falta de apetite. Os sintomas geralmente aparecem após o terceiro ou quarto dia da doença, e é essencial procurar atendimento médico imediatamente se houver suspeita de dengue hemorrágica. O diagnóstico é feito através de exames que identificam a presença e o tipo do vírus da dengue.

Quando se trata da dengue, muitas pessoas se perguntam se é seguro tomar dipirona. A verdade é que não existe um tratamento específico para a dengue, mas para aliviar os sintomas como dores e febre alta, medicamentos antitérmicos como dipirona ou paracetamol podem ser indicados. É importante lembrar que medicamentos à base de ácido acetil salicílico e anti-inflamatórios devem ser evitados, pois podem aumentar o risco de hemorragias. No entanto, é fundamental consultar um profissional de saúde antes de iniciar qualquer tratamento.

A forma grave da dengue: informações fundamentais sobre a dengue hemorrágica 2

No Brasil, existem duas vacinas contra a dengue disponíveis: Dengvaxia e Qdenga. A Dengvaxia é recomendada apenas para quem já teve a doença e é administrada em três doses com intervalo de seis meses entre elas. A Qdenga, por sua vez, chegou ao Brasil em 2023 e pode ser tomada por pessoas que ainda não tiveram dengue, em duas doses com intervalo de três meses.

Além de tratar a dengue, é importante adotar medidas preventivas, já que o mosquito Aedes aegypti é responsável por outras doenças como zika, chikungunya e febre amarela. Para evitar a proliferação do mosquito, é essencial eliminar possíveis criadouros de água parada, como caixas d’água mal fechadas, garrafas e pneus vazios. Também é recomendado utilizar repelente, limpar calhas e ralos, trocar a água de vasos de plantas e bebedouros de animais, além de evitar o acúmulo de lixo e entulho.

Além disso, é importante cuidar da saúde em geral durante períodos chuvosos, já que outras doenças como desidratação, micose e insolação podem ser favorecidas pelo clima. Manter-se hidratado, alimentar-se bem e praticar higiene pessoal, como lavar as mãos frequentemente, também são medidas importantes para prevenir doenças.

Lembre-se sempre de contar com a ajuda de profissionais de saúde para orientações adequadas sobre tratamento e prevenção da dengue. Consultas regulares e acompanhamento médico são fundamentais para garantir o bem-estar e a saúde de você e sua família.

Avalie esse artigo